30 agosto 2007

EM FOCO... "Olha eu" no scrapdiary!

EM FOCO: Patricia Alves... Eu!
por Scrapdiary em 23/08/2007 às 15:06.

Demorou, mas saiu! Um dos EM FOCO mais esperados da história do site!Vamos conhecer um pouco mais dessa super artista, queridíssima por todas nós e que ganhou o primeiro concurso que fizemos aqui. Ela que é polivalente: arquiteta, professora de scrap, designer de papel, lutadora de tae-kwon-do... Com vocês, Pati Alves!

Nome: Patrícia Alves, ou Pati Alves

Idade: 30 anos (recém completados... mas abafa o caso nega!)

Onde mora (estado): Moro em São Bernardo do Campo, grande São Paulo. Alguns chamam de “interior” porque falamos assim: “São Berrrrrrrnarrrrrrdo”

Profissão/Ocupação: Arquiteta no meio de engenheiros e, atualmente, trabalho com instalações hidráulicas prediais. Ahhh e scrapper !!

Família: Moro com meus pais e minha irmã do meio. A irmã mais nova já me passou a perna e tenho uma sobrinha, a Bia, que o povo daqui já cansou de ver. Ahhh e tem os meus amigos queridos que são como uma família pra mim.

FALANDO DE SCRAP

Quando e como você começou a fazer scrap?
Comecei a fazer scrap no começo de 2005. Estava de férias com mais 6 amigos em Porto de Galinhas num chalé com 1 banheiro só. Levamos muitas revistas pra passar o tempo enquanto alguém ocupava aquele recinto tão disputado. Uma destas revistas era sobre educação (tinha uma professora no grupo) e logo que comecei a folhear dei de cara com uma reportagem sobre o assunto. Lembro de ter pensado: “Que coisa mais legal que estas pessoas fazem com papel e foto. Vou fazer também”. Eu tinha muitos papéis coloridos em casa, por conta da faculdade de arquitetura e tão logo voltei pra São Paulo fui fazer um workshop de scrap na Fine Papers no dia 21 de fevereiro de 2005. A aula era de régua molde com a Cláudia Necchi. Juro que fiquei doida em ver tanto papel bonito em um local só. Vi pessoas felizes da vida com seus álbuns enormes e cheios de coisinhas coloridas... me encantei. Fiz outro workshop na mesma semana e comecei a me divertir sozinha fazendo coisas com papel e foto! Quatro meses depois fui dar aula no Lar Center e aí me apaixonei de vez pelo scrap e pelas pessoas felizes que fazem scrap.

Por que você faz scrap?
Não existe uma razão específica... uma única razão. FAÇO SCRAP PORQUE SIM. Faço scrap porque gosto. Faço scrap porque me divirto. Faço scrap porque me aproxima da arte que eu sempre busquei fazendo arquitetura. Faço scrap pra presentear meus amigos e vê-los felizes e emocionados e esta é a maior retribuição. Faço scrap para ter um momento só meu e de mais ninguém. Meu, meu e meu. Faço scrap para exercitar minha criatividade. Faço scrap pra me aproximar de mais pessoas e poder ajudá-las com suas dúvidas e elas com as minhas. Faço scrap pra ensinar, ensinar não!... Compartilhar algo com as pessoas. Faço scrap para fazer novos amigos. Acho que nunca pensei nesta coisa de “eternizar momentos e tal”. Faço scrap pra mim e só pra mim. E quando não quero fazer nada, não faço... e não me cobro também. Às vezes passo um mês sem encostar a barriga na prancheta porque decidi fazer o que me dá vontade quando me dá vontade. E cada um que se divirta fazendo ou eternizando do jeito que preferir! E tenho dito! hahaha

A que hs e onde você costuma fazer scrap?
Não tenho um horário preferido não. Mas geralmente faço scrap aos domingos depois do almoço... com a pancinha cheia. Quando estou atrasada com meus compromissos scrapísticos (95% das vezes) faço à noite.

Qual o material e/ou técnica que você mais gosta?
Papel, papel, papel e umas 40 bailarinas vermelhas. Ahhh e tem mais coisas: chipboard que eu recorto, letrinhas de decalque, costura e uns acessórios (poucos). Gosto de “fazer” os elementos das minhas páginas. Me divirto assim, inventando algo que não tem pra vender ou que não dá pra comprar porque é caaaaaaaaaaaaaaaaaro demais e eu fico com dó do meu cartão de crédito.

Qual foi seu maior desafio até hoje no scrapbooking e o que vc fez para superá-lo?
Acho que meu maior desafio foi dar a minha primeira aula de scrap. Tão logo que comecei a fazer scrap assim “pra valer” uma amiga me deu uma dica: vai lá no pessoal que administra os cursos no Lar Center e oferece seu curso. Ela dava palestras de informática lá. Fui atrás do responsável, mostrei meu trabalho e marcamos a data fatal. Me preparei bem, fiz passo-a-passo, pesquisei, fiz uma introdução, separei kits, gravei 4 cd´s (vai que algum desse pau né...) e lá fui eu rumo a zona norte. O 1º CD realmente não funcionou, mas o 2º sim. UFA! E quando olho pra fora da sala levo um susto danado: tinha muita gente lá, muita mesmo. Mais precisamente havia 44 alunos! 1º aula 44 alunos? Na 1º hora minha voz não saia direito. Nenhuma piadinha vinha na minha cabeça. Lembro que nem consegui me apresentar direito. Me dava desespero só de olhar todas aquelas pessoas me esperando falar alguma coisa e eu não conseguia falar direito. Alguém me perguntou: É a 1º vez que você dá aulas? E eu respondi com a verdade (mais ou menos verdade): “Nãããããão imagina... já dei aulas outras vezes, mas pra grupos menores. Mas pra um grupo tãããão grande é a 1º vez sim!” Dar aula pra sobrinha conta? Grupo menor pode ser só ela? Depois de um tempo eu me acostumei com este negócio de dar aula. rsrsrs
Onde você costuma se inspirar para fazer scrap?
Nas galerias de sites, reinventando meus próprios trabalhos, em revistas (de scrap ou design) e em propagandas impressas.

O que você tenta passar para os outros através dos seus trabalhos?
A minha alegria em fazer algo que gosto. Assim, quem sabe, elas se alegram fazendo algo que gostem também.
Que tipo de metas você quer alcançar com o scrap
Fazer mais scrap e sempre. Pelo menos até eu dar fim nos trocentos papéis que eu tenho em casa e ainda acho que eu tenho pouco e compro mais... Pode?

Quais foram suas maiores conquistas e/ou melhores momentos com o scrapbooking?
As duas linhas de papéis que eu ajudei a criar. Os eventos que fiz e fui convidada a participar. Todas as minhas aulas, os elogios e as críticas aos meus trabalhos e ganhar o 1º concurso do Scrapdiary quando eu nem sabia direito o que era esta coisa toda do “acid-free”! hahaha

O que sua família acha de você fazer scrap? E dos seus trabalhos?
Todos adoram e sempre fazem propaganda dos meus trabalhos. Minha mãe chama as vizinhas para conhecer meu atelier e minha sobrinha diz que eu sou a tia mais inteligente do mundo porque eu faço os “cartões mais bonitos do mundo”. Tá vendo... suborno dá certo!!!

Qual a melhor dica de scrap que você já recebeu?
Pra eu relaxar mais fazendo scrap! E é isto mesmo. Ninguém está nos obrigando a fazer scrap certo? Então porque ficar nervosa porque algo sai errado ou não está do jeito que imaginamos? É só fazer de novo! E de novo...e de novo... e de novo!

FALANDO DE VOCÊ

A coisa mais corajosa que você já fez
Faço coisas corajosas todo santo dia, mas antes não dava valor à coragem que eu empenhava para resolver cada uma delas. Todos nós matamos um leão por dia e nem nos damos conta disto. Poderíamos nos esconder, nos reservar, nos omitir, mas em vez disto damos a “cara à tapa” todo dia no trabalho, no amor, nos negócios, na família e com os amigos. Encarar os desafios diários da minha vida e tentar me superar em cada um deles é a coisa mais corajosa que faço. Todo santo dia.

Uma coisa preciosa que você possui
Meu corpo. Por mais que eu ache que ele sempre precisa de ajustes (ahhh estas gordurinhas localizadas, estas bordas recheadas do $#!@%$#), meu corpo é meu bem mais precioso. Ele me permite ser, pensar e agir.

No que você gasta sem pena
COMIDA! Até com scrap eu tenho dó ao comprar certas coisas. Mas com comida... não tenho. Palavra de gordinha!!!

Seu maior medo
Acho que é ficar doente ou algo parecido e que me impeça de realizar as coisas que eu gosto de fazer.

Um lugar que você adora
Minha casa. Mais precisamente minha caminha. Mas com estes dias suuuper corridos sabe que eu até sinto saudades dela? Ainda mais nestes dias de insistente frio matinal. AHHH e gosto de praia! Não gosto muito do mar, mas andar ou ficar sentadinha na areia é minha idéia para o “local perfeito 2”.

Qual a pessoa viva que você mais admira?
Não tenho uma pessoa em especial. Admiro as pessoas da minha família e os “mais chegados” e como cada um enfrenta seus perrengues do dia-a-dia. Procuro aprender observando as pessoas.
Uma experiência que mudou sua vida
Ser tia. Como é bom ter criança em casa! Você se torna criança também. Tem horas que eu perco a paciência com a Beatriz, perco mesmo. Mas nas outras horas, eu gosto de conversar com ela, de brincar, passar lição de casa, de fazer “cartão-scrap” juntas, de dançar, de me fantasiar, de ir ao shopping comprar roupa, de dormir na sala fingindo que estamos acampando ou contar histórias super divertidas pra ela.

O que você queria ser quando crescesse?
GRANDE!! VERDADE... VERDADE MESMO. Mas não deu certo! Quando vi que todas as crianças eram maiores que eu resolvi mudar de tática. Decidi ser RICA. Minha mãe dava risada quando eu dizia que eu queria ser rica e ter muitos dólares (eu nem sabia o que era dólar, só via pela TV que era coisa de gente rica). Mas esta coisa de ser rica também não deu certo. E na adolescência eu decidi que queria ser arquiteta. UFA... pelo menos um desejo deu certo. Se bem que a coisa do “ser rica” era mais interessante né?

Um super poder que você gostaria de ter
Voar voar, subir subir, ir por onde for! Já pensou? Eu voando por ai. E bem rapidão! Se bem que com esta crise aérea voar seria muito perigoso. hahaha

A sua melhor recordação
Quando minha família veio de Minas Gerais pra morar em São Paulo (em 1982), meu pai comprou um fusquinha. E a viagem anual da família era viajar de volta pra Minas encontrar o resto da família. E íamos, eu e as minhas duas irmãs, dormindo no fusca a viagem toda, ou seja, 1100 quilômetros. Isto mesmo! Meu pai deitava o banco traseiro e o fusca virava nossa cama. Ahh e levávamos brinquedos também! O engraçado que o fusca parecia tão grande... Quase um parque de diversões! Meus pais iam conversando, tomando café e escutando “modas” sertanejas (tipo aquela do menino da porteira) no nosso toca-fitas ultra novo e nós 3 brincando no banco traseiro.

O seu sonho mais louco
Largar tudo aqui e mudar de país! Ir morar uns bons tempos fora, em outras culturas e continuar estudando arquitetura por onde quer que eu fosse.

A sua maior conquista
Me formar arquiteta. Foi um perrengue danado conseguir pagar todas aquelas prestações. Trabalhei e estudei muito pra ter meu diploma e tenho um orgulho danado dele.
Uma coisa que você adoraria fazer e não faz
Andar de patins. Não sei por que isto me chama tanta atenção, mas eu gostaria de saber andar de patins.

O que você valoriza mais nas pessoas
Um largo sorriso, um abraço apertado, sinceridade no olhar, honestidade nos atos e pontualidade em tudo.

O seu lema
“A única pessoa que você pode mudar é você mesmo”.

A coisa que você mais odeia em você
Minha “pancinha”! Mas de uns tempos pra cá até que tenho achado que ela está mais simpática. Mas continua pancinha.
A coisa que você mais odeia nos outros
A falta de sinceridade. Sejam sinceros meus amigos! Com os outros e com vocês mesmos. Se respeite para ser respeitado. É melhor ter alguém emburrado e assumido ao seu lado do que um sorriso falso que acha que está agradando

Um dia perfeito
Visualizem: Acordar tarde, tomar aquele café da manhã, colocar meu biquíni, ficar deitada lendo um livro à beira mar, dar muita risada, conversar com meus amigos, almoçar tarde, tomar um banho beeeem demorado, fazer coisas divertidas e curtir a noite em um barzinho animado ou um karaokê caseiro. Ahhh esta é a minha rotina quando estou na praia no feriado de reveillon com meus amigos e tem sido assim há oito anos. Hummm falta muito pro reveillon?

O seu primeiro emprego
Desenhista em uma fábrica de lajes aos 17 anos. Desenhista à moda antiga, com régua, compasso, esquadros, canetas nanquim, aranha, escalímetro, cópias heliográficas (super fedorentas) e a famosa gilete afiada para “raspar” os traços errados no papel vegetal. Dava um ódio só de pensar em errar!

O seu momento de maior orgulho
Fiz muitas coisas que me orgulho muito. Mas uma que foi super feliz foi buscar meu diploma de conclusão do curso de arquitetura. Acho que a mocinha da secretaria da faculdade até hoje não entende porque eu e minha melhor amiga começamos a chorar com aquela pasta de couro nas mãos. Ela não entendeu a importância que aquela pasta tem pra mim.

O seu maior desafio
Começar a treinar taekwondo há 4,5 anos atrás com 27 anos (as pessoas, em geral, começam a treinar desde criançinha!) e me manter neste esporte que eu aprendi a amar! De verdade! Adoro os treinos, a plasticidade da luta, os chutes, socos, gritos, abdominais (mais ou menos) e fofocar. Ahhh até durante o treinos pesados as meninas fofocam. Nunca pensei em me envolver tanto com este esporte e agora a faixa preta que me aguarde!

Sua maior extravagância
Percebi que não sou muito de extravagâncias sabiam... Tenho que mudar isto. Vou fazer alguma coisa extravagante e já volto! Não saiam daí! Já volto mesmo!

Seu maior arrependimento
Me arrependo de ter deixado a minha vida passar sem mim em alguns momentos dela. Mas prometi pra mim mesma que isto não aconteceria mais. É minha regra diária da vida da nova Patrícia.

Sua trilha sonora
Todas as músicas do The Corrs, Cranberries e alguma rádio que toque músicas bemmmm animadas, principalmente quando eu estou dirigindo.

O filme da sua vida
Pensei, pensei, pensei, mas descobri que ou eu sou anormal, ou não tenho um filme da minha vida mesmo. Adoro filmes, sou cinéfila assumida, já assisti a uma locadora inteira, mas não consigo pensar em um filme em especial. Mas tenho uma lembrança da 1º vez que eu fui ao cinema. Fui assistir algum filme dos trapalhões em 1982 e quando entrei na sala fui logo dizendo: “Pai, como esta TV é grande!”. Ele fala disto até hoje.

Sua idéia de felicidade
Ter minha família e meus amigos sempre comigo. São meu bem maior. No resto todo, damos um jeito!

Uma frase que diz tudo
“You give a little love and it all comes back to you(Da da da ra da da da) You know you gonna be remembered for the things you say and do (Da da da ra da da da)”. É do comercial novo da coca-cola… não é demais?

5 comentários:

Dri Santos disse...

eita mulher famosa!!! ahahahahah

bj,
Dri

kaká disse...

Afff que eu a-do-rei tudo!!!!!!Brigado Pati e vem que eu te ensino com os patins!!!!!

Bruna disse...

Amei!
Realmente é um dos mais esperados meeesmo!!
Eu sou sua fã e sinto apenas de não conseguir fazer todas as suas aulas...
Ah! E também adoro a musiquinha da coca-cola...
bjks
Bruna

Sheila disse...

A falta de sinceridade. Sejam sinceros meus amigos! Com os outros e com vocês mesmos. Se respeite para ser respeitado. É melhor ter alguém emburrado e assumido ao seu lado do que um sorriso falso que acha que está agradando!!! ISSO FALA TUUUUDO! qeu oergulho de você amiga... LHE AMO

Márcia Ramos disse...

Adorei tuas perguntas e respostas.
Me fez pensar...

Abraços, Márcia.